Tradicional Cavalgada de Farol foi cancelada


=Tradicional Cavalgada de Farol foi cancelada



No dia 23 de outubro, aconteceria em Farol-PR  a Tradicional Cavalgada, que foi cancelada a pedido da comissão organizadora do evento, um dos pontos apresentado foi a preocupação de vários agricultores, segundo eles a soja foi plantada recentemente e encontra-se  no período de emergência e cotilédone, isso significa que a primeira ou cada uma das primeiras folhas de um embrião estão acima do solo e nessa fase os cotilédones já estão abertos e expandidos, como uma grande  parte do trecho da cavalgada é cascalhada,  sem dúvidas alguns cavaleiros "poderão" usar as roças para poupar os animais e  uma vez pisoteados ou esmagados a soja nesse período, tornaria impossível a sua recuperação e a perda seria inevitável.


O prefeito Oclecio do PODEMOS se manifestou sobre o cancelamento, segundo o prefeito, todas as festividades realizada no município tem como objetivo principal proporcionar momentos de cultura e lazer aos Farolenses: " Não seria prudente deixar de considerar a recomendação da comissão do evento, uma vez que o principal objetivo da nossa administração é manter as tradições e fomentar a cultura para nossa população, porém sem causar transtorno ou prejuízo a ninguém e nesse momento há uma grande possibilidade de danificar a plantação de soja devido ao tamanho em que se encontra a lavoura, estaremos pensando em uma nova data que seja do agrado dos cavaleiros, cavaleiras e comitiva, porém respeitando a vontade de todos e quando definida iremos divulgar, agradeço a atenção e compreensão de todos", finaliza Oclecio.


A diretora do departamento de Cultura e membra da comissão do evento Almeri de Azevedo, também se pronunciou sobre o cancelamento: " Parabenizo o Prefeito Oclecio por acatar nossa recomendação, isso demonstra a preocupação de um gestor que governa para o bem de toda a população, pois priorizou o princípio da equidade, pois entendi que manter a tradição e fomentar a cultura é essencial, porém não nesse momento", destaca Almeri de Azevedo.

Mais notícias